Categories
Planeta Sustentável

E lá se foi o TEDxAmazônia


Em pouco mais de 48h, cerca de 50 palestrantes tentaram estimular um público formado por jornalistas, (muitos) publicitários, donos de ongs, executivos que cuidam da responsabilidade social das empresas e mais tantos outros profissionas com ideias que, teoricamente, merecem ser espalhadas.

O TEDxAmazônia foi uma bela vitrine de iniciativas, atividades e trabalhos que marcaram de alguma forma uma comunidade. E foram desde empresas que desenvolvem e estimulam a inovação (como o caso de Paul Bennett) até um banco comunitário para criar a cultura de financiamento em uma região pobre de São Paulo (como mostrou Thiago Vinicius). O espaço foi plural, como mostrou a sequência de histórias da parteira Suely Carvalho, que honra seus ancestrais trazendo à vida novos membros, seguida pela a do trabalho documental de Diana Whitten, que registra as atividades de uma organização pró-aborto.

Lá, pude conhecer mais de perto o trabalho, por exemplo, de Edgard Gouveia Jr., fundador do movimento Guerreiros sem Armas, sobre o qual eu falei aqui no Planeta há uns anos. Edgard, depois de uma apresentação bem lúdica, contou sobre o projeto Oasis Santa Catarina, uma plataforma de rede social criada para organizar e eleger grupos que fariam a força-tarefa para ajudar as famílias abandonadas três meses depois do desastre que assolou a região.

A rede foi criada gratuitamente, à época em que o serviço Ning ainda não exigia pagamento, e teve uma bela repercussão. Milhares de pessoas se cadastraram como colaboradores e dezenas de grupos universitários foram criados para estruturar atividades. Os organizadores selecionaram os melhores e convidaram 11 para ir ao estado e ajudar as comunidades. Tudo pago pelos próprios participantes.

“Tem que ser rápido, divertido e sem precisar pôr a mão no bolso”, entoou Edgard praticamente durante toda a sua fala. E por essas três características e a vontade de fazer algo para mudar o mundo que alguns integrantes do evento se organizaram e criaram o Oasis My Amazon para salvar uma tribo indígena prestes à extinção, como salientou o outro palestrante Felipe Milanez. Em pouco tempo, uma página na internet já estava criada, com algumas informações sobre o povo Kawahiva.

Agora, é só entrar no site e colaborar.

2 replies on “E lá se foi o TEDxAmazônia”

Every body understands that men’s life seems to be very expensive, nevertheless different people need money for different things and not every one earns enough money. Thence to receive quick loans and credit loan should be good way out.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *